Destaques

FENÔMENO EL NIÑO PODE CONTINUAR INFLUENCIANDO O REGIME DE CHUVA NO NORTE E SUL DO BRASIL

A previsão climática por consenso para o trimestre ASO/2015 indica maior probabilidade dos totais pluviométricos sazonais ocorrerem na categoria abaixo da faixa normal climatológica para o norte da Região Norte, com distribuição de probabilidade de 25%, 30% e 45% para as categorias acima, dentro e abaixo da faixa normal climatológica, respectivamente. No oeste do Amazonas, a previsão indica maior probabilidade de chuva acima da faixa normal climatológica, com probabilidades de 40%, 35% e 25% para as categorias acima, dentro e abaixo da faixa normal climatológica, respectivamente. Para o leste da Região Nordeste, onde o volume de chuva ainda é considerável em agosto, a previsão por consenso indica maior probabilidade das chuvas ocorrerem na categoria dentro da faixa normal climatológica, com a seguinte distribuição de probabilidade: 25%, 40% e 35% para as categorias acima, dentro e abaixo da faixa normal climatológica, respectivamente. Na Região Sul, a previsão por consenso indica maior probabilidade das chuvas situarem-se acima da faixa normal climatológica, a saber: 40%, 35% e 25% para as categorias acima, dentro abaixo da faixa normal climatológica, respectivamente. Na grande área central do País, o início do referido trimestre ainda é considerado de estiagem, com o aumento gradual das chuvas a partir de outubro.

Temperatura da SuperfÍcie do Mar
Clique na imagem para ver animação
O monitoramento das condições oceânicas indica a persistência de anomalias positivas de TSM na região do Pacífico Equatorial, inclusive com aumento das áreas com anomalias positivas próximo à costa oeste da América do Sul e no setor central do Pacífico Equatorial, o que indica a intensificação do fenômeno El Niño-Oscilação Sul (ENOS). Além do Pacífico Equatorial, anomalias positivas de TSM são observadas em grande parte do Oceano Pacífico, principalmente na costa oeste da América do Norte. No Pacífico Sul, as anomalias positivas observadas são menos intensas e localizadas principalmente próximo à costa oeste da América do Sul e na porção central do Pacífico Sul. No Oceano Atlântico Sul, anomalias positivas de TSM são observadas em parte da costa do Nordeste e Sudeste do Brasil, na costa oeste do continente africano e de forma mais acentuada em praticamente toda a costa da Região Sul do Brasil, Uruguai e Argentina. Nestas localidades, a anomalia positiva de TSM ocorreu em conjunto com anomalias positivas de geopotencial, associadas à presença de um anticiclone anômalo. Este anticiclone, de certa forma, impediu a passagem e/ou a evolução de sistemas frontais para o centro-sul do Brasil e países vizinhos, o que explica, em parte, as anomalias negativas de precipitação. No Atlântico Norte, observam-se anomalias negativas de TSM entre a costa da América do Sul (Venezuela) e a costa da África (Mauritânia e Saara). Anomalias positivas de TSM também são observadas no Atlântico Norte, próximo à costa leste da América do Norte, bem como próximo à costa oeste do continente africano. Este comportamento pode explicar, em parte, a atuação da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) ao norte de sua posição climatológica no decorrer de maio de 2015. Saíba mais ...
EstaÇÕes do Ano
Outono

20/Mar
19h45
Inverno

21/Jun
13h38
Primavera

23/Set
05h20
Verão

22/Dez
*01h48
Fonte: IAG /USP cptec*Não corrigida para Horário de Verão
Clique nas estações p/ maiores informações
INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais
CPTEC - Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos
© Copyright 2015 CPTEC/INPE
Comentários e/ou sugestões: Fale Conosco